Webmaster – Profissional sempre em alta no mercado

 Webmaster – Que profissão é essa?

Webmaster é o profissional responsável por gerenciar e executar projetos de web. Sob sua orientação e responsabilidade trabalham também Webdesigners e  Desenvolvedores Web, Sobre ele recai todo funcionamento do website.

Como surgiu?

Digamos que  lá no início da internet no Brasil, entre 1995, 1996. O ofício era quase como uma brincadeira eletrônica, que disparava adrenalinas ao se dominar as tecnologias emergentes de fazer sites. Eram de conhecimentos, as topologias de redes e tecnologias de programação em html, CSS, javascript, do uso de CGI,  do FTP, entre outras.

Em 1997, o mercado  estava se abrindo aos Webmasters. E os clientes, simpáticos a serem faturados, encantados com a internet e suas promessas. Os profissionais mais brilhantes dominavam  a suíte da Macromedia principalmente Flash com Action Script. Impressionavam a todos com websites quase cinematográficas que lhes renderam boas quantias em dinheiro. Especialistas em linguagem PHP e animações em 3D Max filtravam os Webmasters tops que se destacavam.  E foi tudo muito rápido nos anos que se seguiram.

Webmaster New Generation

Nos anos seguidos de 1998 a 2001, já haviam gerações de atuantes e futuros profissionais. Estes saiam das universidades abraçados em seus canudos de TI. Uns recém formados e virgens no mercado, outros já adquirindo certificações paralelas. Todos desdenhando os ganhos da função e prontos para emparedar quem ainda se apresentasse nas rodas, fóruns  e nos chats, como um Webmaster.

De fato,  muitos que se diziam Webmasters e que tinham apenas a afetação do momento em dominar alguns programas com interfaces gráficas,  não sobreviveram ao tempo. Afogaram-se nas exigências de formação que o mercado passou a exigir. Resultado: foram escorraçados na internet e varridos do mapa  pela velocidade  de aprendizado necessários para seguir prestando trabalho de ponta.

Webmasters Online

A nova geração bradou e  anunciou com veêmencia  o fim da classe dos jurássicos  Webmasters. Em livros, artigos, e posts  encontrados na internet, esta geração apontou o dedo para aqueles “faz tudo” (termo muito encontrado na internet quando referido a estes profissionais, lá daquela época). Na verdade, com o tempo a profissão se fragmentou em diversas outras por imposição natural do mercado e desenvolvimento das àreas. Pormenorizando e aprofundando assim, o conhecimento técnico de até então. Ao ponto de exigir uma equipe estruturada com àreas bem distintas na execução e gestão de um projeto web.

Em tempo,  também houveram os Webmasters que continuaram paralelamente trabalhando e evoluindo como autodidatas. Com seus clientes satisfeitos de lastro,   mantiveram-se fora dos conteúdos ortodoxos acadêmicos que eram oferecidos nas universidades e frequentaram grupos de trabalho e formação  muitas vezes não disponíveis dentro do mesmo escopo de acesso a internet pública.

Hoje em dia

Atualmente, no frenético ritmo de avanço da tecnologia que nunca para, esta  é uma das profissões  que exige atualizações de conhecimentos ininterruptamente. Todos os dias. E ainda não existe  um curso superior de formação completa, portanto toda carga de conhecimento que poder ser adquirida é bem vinda. De conserto de notebook a Pentests. Do Design Gráfico à  música digital.

Apesar de muitas expectativas a cerca de haver um curso acadêmico completo , existem no máximo cursos de  graduação em sistemas de internet , como o de  formação de Tecnólogos. A primeira vista, olhando-se as grades curriculares destes cursos, faz-se  notório a falta de matérias relativas a  entendimento e formação em hardware. Incluem pinceladas de Computação Gráfica, de Banco de Dados e outras àreas necessárias. É tudo muito resumido e superficial para cumprir o aprendizado em um curso de apenas 2 a 3 anos. E onde o foco final, é sempre de Gestão. Deduzo que  a primazia final  destes cursos, é expelir esses novatos ao mercado, o mais rápido possível. Onde colocar essa gente toda? isso já seria um problema extra acadêmico, portanto não mais na alçada do ensino. Boa notícia é que hoje, em 2018, o mercado está absorvendo esses recém chegados e na verdade,   até falta gente, deixando vagas em aberto.

Mestres das teias

Talvez se possa separar os Webmasters tecnólogos de formação atual, dos Webmasters jurássicos, melhor diria, destes “licenciados”  desde o início da internet. Os dois tem o conhecimento adquirido para desempenhar, sem dúvidas. Mas qual deles entende-se objetivamente pelo significado traduzido da proṕria palavra ampla e figurativa “Webmaster”? A “web” como teia de informação e “master” como mestre desta teia?  Mais ainda…

WebFather

Você se intitula, se considera  um Webmaster?  Quer prestar testes e mensurar o seu alcance? Pois dê uma olhada na  grade de aprendizado de um suposto Webmaster sob a ótica deste site. Não vai ficar deprimido depois hem  :)

Por mais duvidosos que possam parecer os  diplominhas fornecidos no site, eles sugeriram já imputando que o profissional tem aquela gama de conhecimentos.

webmasters online

Webmaster indoor

Um Webmaster é peça chave nas empresas que tem na internet,  uma extensão do serviço comercial de vendas. O e-commerce, e outros serviços internet e também de intranet.  Dando  um exemplo da lide diária: dentro do cenário da empresa, é o Webmaster  a pessoa capacitada e responsável a propor e executar a mudança de protocolo de segurança HTTP para HTTPS. Isso, caso ela ainda não tenha sido executada desde 2014. Fato foi que uma das determinações  do  algoritmo do Google daquele ano, impôs aos sites darem mais segurança aos usuários com a adição de criptografia. Em contrapartida, o Google proporcionaria um aumento de classificação “leve” ao site. Esta classificação somada a outros critérios em SEO (Otimização de Buscas )atendidos,  redundaria na melhor colocação das páginas do site nos resultados da busca, aparecendo no Google.

Tarefa consumada, brindes à equipe do Webmaster com  o sucesso do projeto de tecnologia Wordpress. Confetes ao cliente, com o desejado aumento do faturamento disparado pelos acessos seguros ao site e pelo ambiente fluído para a Otimização do site e aplicação de  Search Engine Optmization – SEO. É um trampo e tanto !!

Webmasters Online

O Mercado Empresarial

Em um universo comercial vasto de exigências e conhecimentos para esta função, as vagas de emprego são geralmente preenchidas por especialistas. Estes, pinçados pela suas experiências em rotinas e configurações de específicos sistemas e programas, muitas vezes, próprios  de cada empresa. Eis o  Webmaster especialista moldado para determinada organização, quase por encomenda.

Paralelamente e  dentro da visão de leis trabalhistas atuais,  o mercado esta evoluindo para um modelo que ainda não se configurou totalmente. Nesse sentido, sinaliza positivamente para  os  Webmasters  que estejam mais aptos a serem multifuncionais. Apesar do especialista não perder espaço nesse novo mercado, esta releitura esta ocorrendo inexorávelmente. Até onde é positiva esta tomada de rumo, só o tempo dirá.

Multifuncional além da multifunção default

E os Webmasters acompanham naturalmente o que em termos, essa “tirania” do  mercado lhes  impõe a respeito de serem multifuncionais. Entrementes, às vezes isso pode acabar se configurando como um  acúmulo de funções. E nesse aspecto, ganhar ou perder  depende muito do caso particular de cada um. Logo, ponderar é o melhor nessas horas que se conspira, pensando na nossa liberdade financeira desatrelada de grilhões. Ponderar que o  governo impõe também aos empregadores, cargas absurdas de impostos  que não retornam como os investimentos necessários para fazer a roda girar para todos. Logo, numa economia frágil como a nossa, as imposições do mercado acabam provocando demissões e ou situações novas  deste tipo explicado, nas empresas. Em 2019 alcançamos , 13 milhões de desempregados

O sagrado contracheque

Aqui aplicam-se provérbios : “Males que vem para o bem”, ou “fazer limonada do limão”. Para o profissional, o que muda  é o rol de competências que se somam às suas especialidades “default”. E para continuar “online” no mercado de trabalho, assume a exigência como mais uma porta que abrirá, concordando com mais um  desafio a vencer. Com essa segurança no emprego, pode especular o mundo lá fora olhando o panorama atual através da  janela da empresa. Pois sim, desdenhar faz parte e sempre tem uma vaga de Webmaster em sites de busca de emprego. Porém, nestes casos, lá fora, o certo é sempre incerto para quem está em regime de contar com o contracheque, sem falta no  dia tal.

O Mercado para os  Freelancers

Também os Webmasters profissionais liberais,  estão cada vez mais incorporando funções do trabalho de outros profissionais. Por expontânea vontade aos desafios (visão romântica ) e obrigação às leis de sobrevivência, óbvio.  E isso também é um reflexo do mercado que atualmente sufoca o pequeno e médio empresário como já foi falado, não sobrando verbas  para investir em campanhas de marketing digital essenciais. E tampouco para contratar uma  equipe completa para seu departamento web. Eis a brecha na crise que se cria para o Webmaster Freela.

E falando como um  Freelancer, penso que a partir da procura, onde o cliente vem propôr o serviço,ou onde se leva o projeto ao cliente,  o profissional comprovado pode oferecer seus serviços de forma fácil de serem contratados. As chances se apresentam para aqueles que incorporem no seu currículo, especializações em àreas adjacentes,  tais como SEO-Otimização de sitesWebdesign e até Segurança Digital, onde se audita e realizam-se Pentests, em redes intranet e internet. A questão aqui é de quem aguenta estudar todo e eterno tempo que dispõe de vida, além de trabalhar?

O Futuro

De uma forma geral, o futuro é dos profissionais que se adaptarem a condições imprevisíveis e menos óbvias. Aqueles que com naturalidade encarem novos desafios e desprendimentos profissionais. Estes estarão prontos para desempenhar e retribuir sem  melindres funcionais desapaziguadores  ao bom engajamento grupal, em posições empresariais. Por outro lado, teremos cada vez mais CEOs abrindo caminhos empresariais de porte  e outros ainda  formalizando suas micro empresas MEI.

Todas estas frentes já estão abertas, basta olhar para elas, planejar e ir à luta.

E por mais que haja uma crise atual de desemprego, os  Webmasters que chegam e os que já estão no mercado, mais bem viverão do que propriamente apenas sobrevivam. Para quem esta procurando se colocar no mercado, as chances estão por aí, nos jornais e na internet.

Mas tem que poder !!

 Vagas não faltam nem faltarão.

 

Falamos na próxima!!

Julio César

CEO – Studio A1 Media